Rádio Divino Oleiro 90.9FMRádio Divino Oleiro 90.9FM
arrow_drop_down
Sínodo dos Bispos

Sínodo dos Bispos

    A Secretaria do Sínodo dos Bispos oficializou nesta segunda-feira (19) os nomes daqueles que farão parte da Comissão Teológica, da Comissão Metodológica e do Comitê Consultivo de Orientação do próximo Sínodo dos Bispos. Os membros recém nomeados ajudarão na preparação da assembleia que tem como tema "Por uma Igreja Sinodal: comunhão, partilha e missão". O processo sinodal começará em outubro deste ano e culminará em outubro de 2023 com a Assembleia Sinodal.

    A Igreja latino-americana terá diferentes vozes representadas, especialmente na Comissão Teológica: coordenada por dom Luis Marín de San Martín, subsecretário do Sínodo dos Bispos, será composta por 25 membros, dos quais 4 são latino-americanos, ou seja, dom Faustino Armendáriz Jiménez, arcebispo de Durango (México); o brasileiro Agenor Brighenti, o venezuelano Rafael Luciani e o argentino Carlos María Galli. Todos eles desempenham um papel importante na atual reflexão teológica latino-americana, tendo os três últimos sido peritos no Sínodo para a Amazônia. Eles também são teólogos que fazem parte da equipe de reflexão teológica do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam).

    Na Comissão Metodológica, coordenada pela Irmã Nathalie Becquart, subsecretária do Sínodo dos Bispos, o único representante latino-americano entre os 9 membros é Mauricio López, mexicano residente no Equador, atualmente coordenador do Centro de Programas e Redes de Ação Pastoral do Celam. No caso de Maurício, na qualidade de secretário executivo da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), ele desempenhou um papel de destaque no processo metodológico do Sínodo para a Amazônia, no qual participou como auditor da Assembleia Sinodal, realizada em outubro de 2019.

    Já o Comitê Consultivo de Orientação é composto por 4 italianos e uma alemã. A presença de mulheres nas três comissões é um elemento importante, o que demonstra os passos que estão sendo dados em direção a uma presença cada vez maior de mulheres nos órgãos de decisão da Igreja, um compromisso do Papa Francisco no caminho da sinodalidade.