Deixa-te modelar

 deixa-te modelar

Como pode o Deus Todo-Poderoso amar tão intensamente Seu povo a ponto de querer que Israel fosse semelhante a Ele?

O Senhor desejava somente que Israel tivesse a Sua forma e que tudo o Seu povo de predileção a Ele estivesse conformado e moldado, fosse quanto ao pensar e agir, sentir e decidir ou sonhar e praticar, bastando para tal aderir com benevolência à Palavra de Deus. Não desejava com tirania, mas com imenso amor, como um pai que orgulhoso reconhece seu filho á distância e diz: ” Ele é igualzinho a mim!”.

Como um oleiro, o Senhor queria ver na Sua obra – o povo nascido de Seu coração – as marcas de Suas mãos, os traços de Sua bondade e a docilidade de espírito em deixar-se conduzir pelo Espírito do seu criador.

Mas Israel rejeitou tal projeto, esqueceu-se do Senhor e teimou em assumir vida própria, sem viver sua pertença ao Divino Oleiro. Israel tornou-se disforme, não se encontrava mais em seu proceder humano as virtudes espirituais que adornavam o povo gerado no coração de Deus!

O Senhor insistia com a casa de Israel convidando a elevarem-se, mas era em vão: ” Meu povo é convidado a subir para o Altíssimo, mas ninguém procura elevar-se”(Os 11,7). Instava ainda para abandonarem a forma do mundo com seus vícios e más inclinações, tendências e abominações, “eles, porém, não prestaram ouvidor, e endureceram a cerviz para não ouvirem, nem se deixarem instruir”(Jer 17,23).

Procedendo assim Israel, o Senhor chamou seu profeta fazendo-o descer à olaria para observar a dinâmica do barro nas mãos do oleiro e anunciar então a Israel que, tal qual a argila somos nós, e oleiro é o Senhor.

É Ele quem determina a forma do vaso e se esta não lhe estiver agradável, é deixada de lado, como que aparentemente esquecida, até que Ele como Oleiro Divino a tome nas mão novamente, quebre-a com a doçura de um Pai, e recomece tudo tão somente para nela identificar a obra de Suas mãos.

Neste refazimento contínuo, ao longo de toda a vida, somos então modelados no torno do Divino Oleiro até que nossa vida exterior -a nossa forma – transpareça do que está cheio o seu interior- da vida do Oleiro Divino -, que em nós deixou a Sua própria vida como sinal de nossa pertença ao Seu Israel espiritual.

Vivendo tal carisma – permitindo refazer-se a cada dia em uma obra nova e agradável ao Senhor, a Comunidade Divino Oleiro, há 18 anos tem sido argila nas mãos do Oleiro deixando- se modelar.

Ora elevando-se para os céus entre louvores e aclamações, ora descendo à casa do oleiro, assim a Comunidade Divino Oleiro nesta alegre celebração faz memória de que somos tão somente vasos de barro que carregam um grande tesouro – Jesus, o Senhor!

Como pode o Deus Todo-Poderoso amar tão intensamente Seu povo a ponto de desejara que todos nós sejamos semelhantes a Ele?

Fonte: Comunidade Divino Oleiro

Categoria(s): Sem categoria. Favorite o link.