Com o diabo não se dialoga

A condenação eterna consiste em se afastar do Senhor, foi o que indicou o Papa Francisco em sua homilia durante a Missa celebrada hoje na Casa Santa Marta. Para evitá-la, o Santo Padre adverte que não se deve dialogar com o diabo, que busca fazer com que o homem caia na sua armadilha de mentiras e enganos.

O diabo, disse o Papa, “é um mentiroso, ou mais: é o pai da mentira, gera mentiras, é um impostor. Leva a crer que se comes a maçã, serás como Deus. Ele a vende assim e tu a compras; no fim, ele te engana, arruína tua vida”.

O Pontífice se perguntou como podemos fazer para não nos deixarmos enganar pelo diabo. “Jesus nos ensina como: não dialogar nunca com o diabo. Com o diabo não se dialoga. O que Jesus fez com o diabo? O expulsava.

De fato, inclusive no deserto, Jesus “nunca usou a palavra própria porque sabia bem do perigo. Nas três respostas que deu ao diabo, se defendeu com a Palavra de Deus, a Palavra da Bíblia”.

Por outro lado, o Santo Padre explicou no que consiste o inferno: “a condenação eterna não é uma sala de tortura, ela é uma descrição dessa segunda morte”. Na verdade, a condenação eterna “é uma morte”.

“E aqueles que não serão recebidos no reino de Deus é porque eles não se aproximaram do Senhor. São aqueles que sempre seguiram pelo seu próprio caminho, afastando-se do Senhor e passando diante do Senhor e se distanciaram sozinhos. É a condenação eterna, é o distanciar-se constantemente de Deus”.

A condenação eterna consiste então em se afastar para sempre de “Deus que dá a felicidade”, do “Deus que nos ama tanto”.

Se “abrimos os nossos corações”, como Jesus nos pede, teremos “a alegria e a salvação”, “céu e terra novos”, explicou o Santo Padre.

“A esperança que abre os corações para o encontro com Jesus. Isto nos espera: O encontro com Jesus. É bonito, é muito bonito! Ele só nos pede para sermos humildes e dizer ‘Senhor’. Basta somente aquela palavra e Ele faz o resto”.

Evangelho comentado pelo Papa Francisco:

Lc 21,29-33

Naquele tempo, 29Jesus contou-lhes uma parábola: “Olhai a figueira e todas as árvores. 30Quando vedes que elas estão dando brotos, logo sabeis que o verão está perto. 31Vós também, quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Reino de Deus está perto. 32Em verdade, eu vos digo: tudo isso vai acontecer antes que passe esta geração. 33O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.