Fundador

Padre MarcioPadre Marcio Alexandre Vignoli, presbítero da Arquidiocese de Florianópolis/SC, nasceu em 20 de agosto de 1971, dia de “São Bernardo Abade”, na cidade de Camboriú/SC. Sua origem é de família muito simples e pobre. É o primeiro filho do jovem casal Paulo e Maria Aparecida, que aguardavam há quatro anos um bebê.

Viveu com simplicidade na pacata e pobre Camboriú da década de 70. Sua espiritualidade e religiosidade foram forjadas por seus avós maternos, fidelíssimos a Igreja. Desde muito cedo dizia “quero ser padre”, e com os avós “brincava de Missa”.

Estudou o primário e o ginásio no Colégio Estadual Professor José Arantes – Camboriú/SC.

Sua Paróquia de origem é a do Divino Espírito Santo, onde bem cedo começou a “ajudar” como coroinha e a partir daí, engajou-se sempre mais nas atividades, grupos de novena, catequese, liturgia, clubinho vocacional, entre outras coisas. Sempre foi muito criativo e disponível, características próprias do Carisma Divino Oleiro.

Para poder ingressar “mais cedo no seminário” e cativado pelas Irmãs Catequistas Franciscanas, ingressou no Seminário São Francisco de Assis, em Ituporanga, no ano de 1986 com 15 anos, para cursar a 8ª série.

De 1987 a 1989, cursou o segundo grau em Agudos/SP, no Seminário Santo Antonio; Em 1990, ingressou no noviciado Franciscano em Rodeio/SC, permanecendo até o final de outubro, quando em meio a uma grande crise vocacional, foi demitido do noviciado. Um tempo de muita dor.

Mas logo no mesmo ano, foi acolhido pelo então Pároco de Camboriú: Padre João Elias Antero, que o encaminhou para o Seminário Arquidiocesano de Azambuja, onde de 1991 a 1993, cursou Filosofia, e depois, de 1994 a 1997 em Florianópolis, cursou Teologia no Instituto Teológico de Santa Catarina – ITESC, morando no Seminário Teológico “Convívio Emaús”.

Padre Marcio foi ordenado diácono no dia 15 de fevereiro de 1998, na Paróquia Santo Antonio – Campinas – São José (SC), pela imposição das mãos de Dom Vito Schlikmann, e ordenado presbítero a 16 de maio, na sua cidade natal, Camboriú, pela imposição das mãos de Dom Eusébio Oscar Scheidt.

Seu lema de ordenação sacerdotal é: “Eu me consumo de ardente zelo pelo Senhor Deus dos Exércitos” (1Reis – 19).